quinta-feira, 15 de julho de 2010

TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS

TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR


Só aprende aquele que se apropria do aprendido transformando-o em apreendido, com o que pode por isso mesmo, reinventá-lo; aquele que é capaz de aplicar o aprendido-apreendido a situações existentes concretas “Paulo Freire.
As tendências pedagógicas originam-se de movimentos sociais e filosóficos, num dado momento histórico, que acabem por propiciar a união das práticas didático-pedagógicas, com os desejos e aspirações da sociedade de forma a favorecer o conhecimento, sem, contudo querer ser uma verdade única e absoluta. Seu conhecimento se reveste de especial importância para o professor que deseja construir sua prática.
É a partir desses conhecimentos que podemos propor mudanças que propiciem o desenvolvimento do fazer, representar e exprimir. Por isso, o professor deve estar a par das teorias e tendências pedagógicas ao problematizar suas questões do cotidiano e ao pensar sua prática, sem, contudo estar firmemente preso a uma delas. Deve, antes de tudo procurar o melhor de cada uma, seguindo uma aplicação cuidadosa que permita avaliar sua eficiência.
As teorias são importantes, mas cabe ao professor construir sua prática embasado nelas, elas são elementos norteadores e não "receitas" prontas. Vemos que na prática escolar os condicionantes sócio-políticos exercem forte ascendência sobre as tendências pedagógicas, que foram classificadas em:
Liberais - Marcou a Educação no Brasil nos últimos 50 anos, mostrando-se ora conservadora, ora renovada. A Pedagogia Liberal enfatiza: o preparo do indivíduo para o desempenho de papeis sociais, de acordo com as aptidões individuais; os indivíduos precisam aprender a adaptarem-se aos valores e á normas vigentes na sociedade de classes e, embora propague a idéia de igualdade de oportunidades, não leva em conta a desigualdade de condições.
Progressista - É uma tendência que parte da análise crítica das realidades sociais que sustentam as finalidades sócio-políticas da educação. A Pedagogia Progressista não tem como institucionalizar-se numa sociedade capitalista, por isso se constitui num instrumento de luta dos professores ao lado de outras práticas sociais. As intenções ou tendências pedagógicas são referências norteadoras da prática educativa, sendo que, os movimentos sócio-políticos e filosóficos exercem intensa influência sobre as tendências pedagógicas. Podemos classificá-las em: Pedagogia Liberal Tradicional, Tendência Liberal Renovadora Progressiva, Tendência Liberal Renovadora não-diretiva (Escola Nova), Tendência Liberal Tecnicista, Tendência Progressista Libertadora, Tendência progressista Libertária, Tendência Progressista "crítico social dos conteúdos ou "histórico-crítica".
Na Tendência Liberal Tradicional, o papel da Escola: Consiste na preparação intelectual e moral dos alunos, compromisso com a cultura, os menos capazes devem lutar para superar suas dificuldades e conquistar seu lugar junto aos mais capazes.
Na Tendência Renovada Progressista, o papel da Escola é: Ordenar as necessidades individuais do meio social. Experiências que devem satisfazer os interessem do aluno e as exigências sociais. Interação entre estruturas cognitivas do indivíduo e estruturas do ambiente.
Nesta Tendência Liberal Renovada não-Diretiva, o papel da Escola esta em: Formação de atitudes. Preocupações com problemas psicológicos. Clima favorável à mudança do indivíduo. Boa educação, boa terapia (Rogers).
Já a Tendência Liberal Tecnicista, o papel da Escola: Funciona como modeladora do comportamento humano, através de técnicas específicas, tal indivíduo que se integra na máquina social. A escola atual assim, no aperfeiçoamento da ordem social vigente.
Na Tendência Progressista Libertadora, o papel da Escola: Atuação não formal. Consciência da realidade para transformação social. Questionar a realidade. Educação crítica.
Na Tendência Progressista Libertária, o papel da Escola: Transformação na personalidade do aluno, modificações institucionais a partir dos níveis subalternos.
A tendência reprodutora pressupõe que a educação reproduz a sociedade e as ideologias vigentes. A escola é considerada como um ambiente discriminatório, ela imprime ideologias das classes dominantes e, em vez de democratizar, ela reproduz as diferenças sociais


CONCLUSÃO


A complexidade do tema “prática escolar” exige uma análise sobre o problema em toda sua amplitude, em toda sua contextualização sócio-histórica, uma vez que se visualiza a interação de variáveis conservadoras e contemporâneas. Ultimamente, o tema educação é chega aos confins da escola para passar a ser um assunto do debate em todos os setores, em particular no mundo da produção que na atualidade move os maiores recursos. Nossa escola tem uma tradição que conferencia um estilo a ela e um espírito particular que deve ser respeitado na melhor forma que puder, mas que se atualize das exigências do presente.


BIBLIOGRAFIA


http://www.psicopedagogia.com.br/artigos/artigo.asp?entrID=751
http://www.ufsm.br/lec/01_00/DelcioL&C3.htm
http://www.pedagogia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=74

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
©2007 '' Por Elke di Barros